Início » Formação » Testes Psicotécnicos: como se preparar?
Carreira Formação

Testes Psicotécnicos: como se preparar?

Testes Psicotécnicos
Utilizados como ferramenta nos processos de recrutamento ou para ajudar os alunos a perceber qual a sua vocação, os Testes Psicotécnicos ajudam a perceber algumas aptidões pessoais.

Utilizados no contexto laboral como ferramenta de seleção no âmbito de um processo de recrutamento ou, em alternativa, no contexto escolar para ajudar os alunos a perceber qual a sua vocação ou como pré-requisito de entrada em alguns cursos do ensino superior, os testes psicotécnicos assumem, como se percebe, uma importância fulcral na vida escolar e laboral de cada um de nós.

Ao longo deste artigo vamos perceber o que são os testes psicotécnicos, quais os mais comuns e como os candidatos a um emprego ou curso superior se podem preparar para a realização de um.

O que é um teste psicotécnico?

Na prática, um teste psicotécnico é uma avaliação que tem por objetivo determinar a aptidão que uma certa pessoa demonstra num contexto em particular de modo a distinguir candidatos com um perfil desejado para a função ou vaga em questão, daqueles que não o apresentam.

Construídos para avaliar dimensões psicológicas e técnicas, este tipo de testes consiste num conjunto de exercícios e tarefas que permite identificar características-chave das pessoas.

Por norma, cada teste mede apenas uma característica, e para cada exercício há um tempo limite que é cronometrado, habitualmente curto, e uma única resposta certa. O facto de estes testes terem um tempo limite, irá permitir perceber ao recrutador como o candidato reage, em situações de pressão, qual a sua rapidez de raciocínio, qual a sua capacidade de gestão do tempo, conhecimentos, habilidades, traços de personalidade e carácter (tolerância à frustração e à ansiedade), por exemplo.

Não responder a todas as perguntas não significa que o candidato estará automaticamente excluído do processo de seleção, uma vez que estes testes são apenas um mero indicativo da forma como responde quando se encontra sob pressão, da sua capacidade de reação e/ou de improviso.

Dentro de um processo de recrutamento ou avaliação de competências para um mesmo emprego ou acesso a curso superior, os testes psicotécnicos realizados são provas padronizadas e iguais para todos, quer isto dizer que todos os candidatos são sujeitos ao mesmo nível de dificuldade, que varia consoante as exigências do cargo/emprego em questão.

Isto permitirá ao recrutador proceder a uma triagem de quais os candidatos que mais se adequam ao perfil pretendido.

Quais são os tipos de testes psicotécnicos mais comuns?

Os testes psicotécnicos podem ser, entre outros, verbais, numéricos, de diagramas ou de situações reais. Existe, como se percebe, uma infinidade de testes psicotécnicos, mas os mais comuns são:

  • Testes de cálculo matemático: Realizados sem o auxílio de uma máquina calculadora, o objetivo destes testes é aferir a agilidade mental do candidato. No âmbito deste tipo de teste psicotécnico existem provas de cálculo exclusivamente de somas com resultado em que o candidato tem de assinalar se a resposta é verdadeira ou falsa (escolha múltipla).

    Para além disto, o teste pode apresentar-se através de um problema aritmético ou de uma mistura de somas, subtrações, multiplicações e divisões.

  • Testes de compreensão verbal: Estes testes informam o recrutador acerca do nível de conhecimentos linguísticos do candidato. Ser-lhe-á pedido que, por exemplo, identifique o sinónimo ou antónimo de várias palavras existindo, ainda, a possibilidade de lhe serem apresentadas duas palavras e ter de indicar se são sinónimos ou antónimos uma da outra.

Exemplo:

Encontre entre as quatro palavras propostas aquela que seja sinónimo da que figura em maiúscula. Sublinhe a palavra escolhida.

DESAFORO

a. Imprudência; b. Tropelia; c. Vazio; d. Conselho;

  • Testes de raciocínio lógico: Estes testes medem a capacidade de raciocínio lógico do candidato e podem aparecer sob uma infinidade de formas: fichas de dominó, desenhos, figuras geométricas, etc.

Um exemplo comum de um exercício deste tipo de testes é o seguinte:

Descubra qual é o número que continua a série.

3, 4, 7, 11, 18, __

  • Testes de memória e retenção visual: Aferidores da capacidade de memória a curto prazo, estes testes, por norma, apresentam-lhe uma folha com uma série de imagens ou palavras às quais tem de estar atento durante um determinado tempo (regra geral, apenas alguns segundos).

Depois de retirada essa folha terá de reproduzir o maior número possível de imagens ou palavras. Um exemplo comum é o seguinte:

Memorize os seis pares de palavras da lista seguinte e escreva-os no verso da folha.

Lua – Sol

Dia – Noite

Cadeira – Mesa

Cara – Coroa

Inverno – Verão

  • Testes de personalidade: Têm como objetivo medir características da personalidade do candidato, como a motivação, estabilidade, agressividade ou introversão e, por norma, não têm carácter eliminatório.

    Como não existe um tempo limite nem respostas consideradas certas ou erradas, estes testes de personalidade dão ao candidato a possibilidade de responder de forma ponderada, calma e assertiva às questões que lhe são feitas.

    Um exemplo comum é o seguinte:

    Para cada afirmação, selecione a resposta (Verdadeiro/Falso) que mais se adequa ao seu comportamento.

    Evito enfrentar dificuldades (V) (F)

    Quando decido fazer alguma coisa, faço-a imediatamente (V) (F)

    Quando cometo um erro, critico-me a mim (V) (F)

Como se preparar para um teste psicotécnico?

Não existe uma fórmula mágica ou um processo que deva seguir escrupulosamente para ser bem-sucedido num teste psicotécnico. Como estes servem, essencialmente, para aferir as habilidades, aptidões, personalidade, comportamento e improvisação dos candidatos em situações muito específicas e, como tal, dividem-se em vários tipos, não existe uma forma única de se preparar para um teste psicotécnico.

Por exemplo, os testes psicotécnicos que o Exército Português utiliza nos seus métodos de seleção são necessariamente diferentes dos usados dos testes que uma empresa do ramo alimentar usa para encontrar um novo técnico de produção ou daqueles que são pedidos a um candidato ao ensino superior.

Se não poderá “estudar” para a realização de um teste psicotécnico, a melhor forma de se preparar é procurar dormir uma boa noite de sono antes do dia da realização da prova, procurar alimentar-se bem e exercitar o cérebro para que este não bloqueie durante a realização do teste.

Assim, para que o teste psicotécnico lhe corra pelo melhor e consiga o emprego ou entrar no curso que pretende, deve:

  • Manter-se calmo antes e durante da realização do teste;
  • Descansar e alimentar-se bem nos dias anteriores à realização do teste;
  • Seguir, na totalidade, as instruções que lhe são dadas previamente pelo responsável e, em caso de dúvida, não deve hesitar e pedir novas explicações;
  • Tentar refletir antes de responder. O objetivo de um teste psicotécnico não é responder a todas as perguntas, mas sim se o fez acertadamente;
  • Ser coerente e sincero nas respostas que dá, sobretudo quando se tratam de testes de personalidade;
  • Passar imediatamente para a pergunta seguinte e não responder à sorte se bloquear numa dada questão;
  • Praticar o máximo número de testes disponibilizados online que conseguir, como por exemplo os que se encontram disponibilizados pela Universidade do Porto ou pela Testworld.
Publicidade

Sobre o autor

Formação

Adicionar Comentário

Clique aqui para enviar um comentário

Publicidade