Início » Notícias » Charles Michel fala em “Plano Marshall europeu”
Internacional Notícias

Charles Michel fala em “Plano Marshall europeu”

charles michel

Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, prometeu, esta quinta-feira, um Fundo de Solidariedade da União Europeia (UE), para reconstruir a Ucrânia. 

“À medida que nos aproximamos do Dia da Europa, a 9 de maio, um dia para recordar a paz e a unidade após os horrores da Segunda Guerra Mundial, somos também recordados do Plano Marshall, que ajudou a reanimar a Europa e a recuperar as economias após a devastação da guerra”, afirmou Charles Michel.

Numa intervenção na Conferência Internacional de Doadores de Alto Nível para a Ucrânia, com lugar em Varsóvia, Michel garantiu acreditar “firmemente” que, como resposta à “devastação da guerra em solo europeu”, o Fundo de Solidariedade da UE “pode e deve ser o ponto de partida de um Plano Marshall europeu para este século”.

“Um motor de solidariedade para a renovação e reconstrução da Ucrânia, para a prosperidade da Europa e para a Aliança Transatlântica”, sublinhou.

A criação do Fundo de Solidariedade da UE foi aprovada no mês de março, pelos líderes da união no Conselho Europeu.

“Esta é uma expressão concreta do nosso compromisso com a Ucrânia, juntamente com a ajuda e apoio de doadores externos”, disse Charles Michel.

“Vamos ajudar a reconstruir o vosso país e a vossa economia, as vossas casas, escolas, hospitais e empresas, o futuro de uma Ucrânia segura e próspera, combinando o financiamento da reconstrução com as reformas necessárias. Isto não é apenas uma visão teórica a longo prazo, a reconstrução começa hoje”, prometeu.

Segundo os cálculos do Fundo Monetário Internacional, a Ucrânia precisará de um financiamento significativo para a manutenção de um Estado funcional (cerca de cinco mil milhões de euros por mês).

“Mobilizámos e desembolsámos assistência macrofinanceira em conjunto com os nossos amigos e parceiros, mas não devemos ser complacentes. Temos de fazer muito mais para prestar apoio prático agora e imediatamente para garantir que enfermeiros, médicos e professores possam ser pagos a tempo e que a Ucrânia possa continuar a funcionar”, referiu o presidente do Conselho Europeu.

Foi igualmente anunciado pela Comissão Europeia ​​um novo pacote de ajuda da UE, no valor de 200 milhões de euros, destinado às pessoas deslocadas.

Subscreva para receber notícias semanais e campanhas especiais.

Escrito por João Serra

Publicidade

Publicidade