Início » Notícias » Coreias restabelecem comunicações
Internacional Notícias

Coreias restabelecem comunicações

Coreias

Após a Coreia do Norte ter cortado unilateralmente as comunicações entre Coreias, em agosto, ambas restabeleceram-nas, esta segunda-feira.

Segundo informou a agência de notícias oficial do regime norte-coreano, o líder do país, Kim Jong-un, “manifestou a sua intenção de restaurar os canais de comunicação cortados entre o Norte e o Sul”, notando que esta medida tinha como objetivo estabelecer uma “paz duradoura” na península coreana.

A KCNA referiu ainda que “Os organismos competentes decidiram restabelecer todos os canais de comunicação Norte-Sul a partir das 9h00 (00h00 em Lisboa) do dia 4 de outubro”.

Foi já anunciado, igualmente, pelo Ministério da Unificação de Seul, que, na manhã de segunda-feira, através de um canal de comunicação transfronteiriço, os funcionários de ligação de ambas as Coreias já trocaram mensagens.

As comunicações entre os dois territórios serão, assim, restauradas, dias após Pyongyang ter realizado testes de mísseis, motivando uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU).

Recorde-se que a Coreia do Norte, em junho de 2020, cortou todos os canais de comunicação com a Coreia do Sul, unilateralmente, após terem sido descobertos materiais de propaganda anti-regime em território norte-coreano, provenientes de militantes no Sul.

Apenas um ano mais tarde, em julho de 2021, é que as Coreias anunciaram o restabelecimento de comunicações transfronteiriças.

Os líderes dos dois países, (Moon Jae-in da Coreia do Sul e Kim Jong-un da Coreia do Norte) que, oficialmente ainda estão em guerra, estabeleceram contacto telefónico pela primeira vez nesse dia, revelando-se ainda que ambos trocavam cartas. Nas mesmas, falavam de como acreditavam que o descongelamento das comunicações entre Coreias seria benéfico para o desenvolvimento das relações diplomáticas entre os dois países.

Os exercícios militares da Coreia do Sul, em conjunto com os EUA, no entanto, viriam a ser levados como provocação por Pyongyang, fazendo com que a Coreia do Norte deixasse de responder às chamadas da nação vizinha, em agosto.

O regime norte-coreano, desde então, anunciou lançamentos de um míssil cruzeiro de longo alcance, de um míssil hipersónico e, na passada sexta-feira, dia 1 de outubro, de um míssil antiaéreo.

Escrito por João Serra

Publicidade

Publicidade