Início » Notícias » França “intimida” com corte de energia no Canal da Mancha
Internacional Notícias

França “intimida” com corte de energia no Canal da Mancha

França

Após Londres negar a licença de pesca na costa de Jersey à maioria dos barcos que a requisitaram, França voltou a ameaçar o Reino Unido com um corte de energia naquela ilha.

Só na última semana, o governo britânico negou licenças de pesca a um terço dos barcos franceses, mostrando estar decidido em violar o acordo comercial pós-Brexit.

De acordo com o jornal “The Guardian”, as autoridades do Reino Unido, na semana passada, negaram 35 pedidos de licença de pesca por parte de pescadores franceses, sob o argumento de que os navios recusados não foram capazes de apresentar histórico de trabalho naquelas águas.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, afirmou que “O Reino Unido não respeita a sua própria assinatura. Mês após mês, apresenta novas condições e atrasos na concessão de licenças definitivas. Não podemos tolerar isso”, acrescentando, ainda, que a Comissão Europeia tem o dever de “fazer mais” e de ser mais assertiva com o governo britânico.

O ministro dos Assuntos Europeus francês, Clement Beaune declarou que, apesar de França lutar pelos seus interesses de “forma adequada e diplomática”, face às sucessivas negas por parte do governo de Boris Johnson, ​​”é preciso tomar medidas”, referindo, ainda, que “As Ilhas do Canal, no Reino Unido, dependem de nós para o fornecimento de energia. Eles acham que podem viver sozinhos e ainda falar mal da Europa. E quando não funciona, colocam-se numa a uma posição agressiva e de superioridade”.

Beaune assegurou, também, que a capital francesa tomará “medidas a nível europeu ou nacional para pressionar o Reino Unido”, sob o argumento de que França tem “um acordo negociado” e que este deve ser “aplicado a 100%”.

Já Londres defende que a abordagem do governo britânico é apropriada e que a mesma respeita o compromisso comercial entre ambas as partes. O ministro do Brexit, David Frost, segundo a “BBC”, rejeitou quaisquer acusações relativamente a uma violação do acordo.

Recorde-se que não é a primeira vez que Londres e Paris entram em disputa pelas águas do Canal da Mancha, visto que, em maio deste ano, após um grupo de pescadores franceses ameaçar bloquear o principal porto da ilha como forma de protesto, navios de guerra foram enviados por ambos os países.

Subscreva para receber notícias semanais e campanhas especiais. 

Escrito por João Serra

Publicidade

Publicidade