Início » Notícias » Pró-russos acolhem refugiados ucranianos “por todo o país”
Nacional Notícias

Pró-russos acolhem refugiados ucranianos “por todo o país”

pró-russos

De acordo com a Associação dos Ucranianos em Portugal, existem elementos pró-russos “por todo o país” nas organizações que acolhem refugiados ucranianos, sendo um fenómeno que se verifica por toda a Europa.

“Desde que os refugiados começaram a chegar a Portugal, em março, começámos a receber alertas de que tinham sido recebidos por pessoas de elementos pró-russos que se faziam passar por elementos de organizações internacionais e até ucranianas”, referiu Pavlo Sadoka, presidente da Associação dos Ucranianos em Portugal, à Lusa.

O responsável garantiu, ainda, que diversas denúncias chegaram “de norte a sul do país”.

A associação alertou, “há mais de um mês, os serviços secretos portugueses para a presença de agentes infiltrados nas organizações que estavam a dar apoio aos refugiados e a recolher informações sobre as suas famílias”.

“Os russos têm a melhor rede de espionagem de todo o mundo e utilizam todo o tipo de esquemas. Claro que nós não podemos provar, porque não somos nenhuma agência de investigação, mas a História diz-nos que esta é uma situação muito perigosa”, mencionou Pavlo Sadoka.

O responsável assegura, igualmente, que a “Associação dos Ucranianos em Portugal esteve reunida esta semana com outras organizações e vimos que é igual em toda a Europa”.

O “Expresso” noticiou, esta sexta-feira, sobre os serviços de apoio a refugiados da Câmara Municipal de Setúbal, onde alguns refugiados foram recebidos por pró-russos, sendo que estes cidadãos ucranianos se sentiram ameaçados.

De acordo com o jornal, pelo menos 160 refugiados já terão sido acolhidos pelo antigo presidente da Casa da Rússia e do Conselho de Coordenação dos Compatriotas Russos, Igor Khashin, e pela mulher, Yulia Khashin, funcionária do município de Setúbal.

Segundo o semanário, Igor e Yulia Khashin terão fotocopiado documentos de identificação dos cidadãos ucranianos, no âmbito da Linha de Apoio aos 

Refugiados da Câmara Municipal de Setúbal, tendo questionado os refugiados sobre os familiares que permaneceram na Ucrânia.

O PSD e a IL já requereram a audição do presidente da Câmara Municipal de Setúbal na Assembleia da República para esclarecer o sucedido.

Subscreva para receber notícias semanais e campanhas especiais.

Escrito por João Serra

Publicidade

Publicidade