Início » Notícias » Protestos contra a detenção de Puigdemont
Internacional Notícias

Protestos contra a detenção de Puigdemont

protestos

Centenas de pessoas na cidade de Barcelona, incluindo vários vereadores do Governo, participaram em protestos organizados pela Assembleia Nacional Catalã (ANC), junto ao Consulado italiano, contra a detenção, na Sardenha, do antigo presidente da Catalunha, Carles Puigdemont.

De acordo com a RTVE, os manifestantes, entoando gritos de “Puigdemont, presidente”, bloquearam a Avenida Diagonal de Barcelona, visto que as autoridades não permitiram o acesso por parte do grupo de protestantes ao edifício do Consulado de Itália. Os integrantes neste protesto exigem imediata libertação, acusando o Estado de mentir ao Tribunal do Luxemburgo.

Diversas entidades, como a Òmnium Cultural, participaram nos protestos, bem como personalidades políticas relevantes, como é o caso do vice-presidente e ministro espanhol de Políticas e Territórios Digitais, Jordi Puigneró.

Segundo a empresa de rádio e televisão espanhola, na manifestação também esteve presente a deputada Elsa Artadi, do partido espanhol “Juntos pela Catalunha”. A mesma declarou que “este caso é muito grave” e que é “uma situação que o Governo espanhol tem que esclarecer”.

O ex-ministro espanhol, Jordi Turull, também esteve presente na concentração.

Pere Aragonès, Presidente da Generalitat, também cancelou todos os compromissos, mantendo contacto, a partir do Palácio, com a equipa de Puigdemont e com Victòria Alsina, ministra dos Negócios Estrangeiros, que se encontra em Itália, em visita oficial.

Aragonès convocou todos os vereadores para uma reunião, condenando a detenção de Carles Puigdemont através de uma publicação no Twitter, considerando a mesma “perseguição e repressão judicial”.

É de se lembrar que o ex-presidente da Catalunha foi detido na quinta-feira, dia 23, na Sardenha, em Itália, segundo fontes policiais, que não revelaram mais detalhes. Carles Puigdemont era alvo de mandato de captura internacional. Segundo fontes contactadas pela agência Efe, o político foi preso à chegada, proveniente de Bruxelas.

Puigdemont foi detido ao chegar a Alghero, uma cidade no noroeste da Sardenha, onde iria participar num evento com a responsável pela pasta dos Negócios Estrangeiros da região catalã, Victòria Alsina, e a presidente do parlamento catalão, Laura Borràs.

Subscreva para receber notícias semanais e campanhas especiais.

Escrito por João Serra

Publicidade

Publicidade