Início » Notícias » Segurança que agrediu cliente numa discoteca no Algarve está suspenso
Nacional Notícias

Segurança que agrediu cliente numa discoteca no Algarve está suspenso

Segurança

O segurança responsável por agredir um cliente numa discoteca no Algarve encontra-se proibido de exercer funções até ser completado o inquérito criminal, bem como o processo administrativo instaurado.

A PSP informou, esta quinta-feira, dia 14, que o segurança que agrediu um cliente num estabelecimento em Albufeira foi suspenso das funções.

De acordo com as autoridades, por decisão do Sr. Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, na terça-feira, dia 12, foram aplicadas as seguintes medidas ao agressor: 

“Suspensão do título profissional de segurança porteiro (genericamente, de segurança privado em espaços de diversão noturna), ficando proibido de exercer essas funções até conclusão do inquérito criminal e do processo administrativo entretanto instaurados; assim como a “suspensão parcial da continuação do exercício da atividade de vigilante (genericamente, de segurança de instalações, para a qual o segurança privado agressor também estava habilitado), sem permissão de o fazer em locais de acesso público ou que incluam o contacto com o público”

A PSP informou, ainda, que o alvo desta decisão administrativa foi, esta quinta-feira, notificado da mesma.

As autoridades, após visualização das imagens da agressão, pediram informação sobre o sucedido às forças territorialmente competentes. Sendo assim, “o Departamento de Segurança Privada da PSP desenvolveu uma operação de fiscalização administrativa extraordinária às empresas de segurança privada a operar no estabelecimento onde ocorreram as agressões”.

A PSP afirmou, ainda, que, dessa fiscalização, foi analisada toda a informação relevante para o caso, nomeadamente no que toca aos dados necessários para determinar as relações jurídicas existentes entre a empresa de segurança privada e o estabelecimento de diversão noturna, bem como a identidade do agressor”.

As autoridades denotaram, também, que, “após a análise de toda a informação recolhida e nos termos da legislação que regula o setor da segurança privada, a PSP desencadeou os procedimentos tendentes a propor a suspensão da atividade do segurança privado que cometeu as agressões”.

A mesma nota da PSP conclui-se com um apelo a todas as empresas deste tipo de serviços e funcionários das mesmas para que “cumpram o quadro legal aplicável, em estrito respeito pelos direitos, liberdades e garantias dos nossos concidadãos”.

Recorde-se que as agressões ocorreram no início do mês de outubro, numa discoteca em Albufeira, no Algarve, mas apenas agora, com a divulgação das imagens, o caso veio a público.

Escrito por João Serra

Publicidade

Publicidade