Início » Saúde e Beleza » Reducitarianismo: cortar no consumo de carne
Nutrição Saúde e Beleza Saúde e Bem-Estar

Reducitarianismo: cortar no consumo de carne

Reducitarianismo

O termo pode soar-lhe estranho, mas o reducitarianismo é uma das soluções mais simples para ajudar a diminuir a nossa pegada ambiental através da redução do consumo de carne. Venha connosco ficar a saber mais sobre este conceito.

O que é o Reducitarianismo?

O reducitarianismo foi cunhado por Brian Kateman, fundador da Reducetarian Foundation, e, na prática, defende a redução do consumo de carne (vermelha e aves), peixe e marisco, bem como de laticínios e ovos, independentemente do grau de motivação.

Como não exige um compromisso a fundo com uma dieta alimentar, o reducitarianismo tem atraído cada vez mais seguidores, uma vez que todo o processo de redução do consumo de produtos derivados de animais na alimentação é gradual e acompanha o ritmo de vida de quem a ele se junta.

Para além de contribuir para a sustentabilidade ambiental e para o bem-estar animal, esta filosofia de consumo apresenta ainda uma série de benefícios para a saúde. Vamos conhecê-los.

Benefícios da redução do consumo de carne para a saúde

De acordo com os nutricionistas, dietas ricas no consumo de carne são catalisadoras de doenças como o cancro da mama, da próstata ou do cólon a que se juntam, devido ao teor de gordura saturada da carne e derivados, colesterol elevado, hipertensão, ataques cardíacos, obesidade, osteoporose, artrite, diabetes, asma, pedra nos rins e impotência.

Para além da prevenção destas doenças, a carne pode acumular contaminantes químicos, numa concentração superior à verificada nos alimentos de origem vegetal.

Tal deve-se, sobretudo, às rações enriquecidas com hormonas e antibióticos e aos abates com recurso a anestesia, situação em que os animais libertam adrenalina em excesso, contaminando ainda mais a carne.

Todas somadas, a carne ao ser consumida pode originar doenças nos sistemas imunitário e reprodutor.

Com a redução do consumo de carne e a maior ingestão de alimentos de origem vegetal, isto vai contribui para uma maior ingestão de fibras, nutrientes antioxidantes, vitaminas e minerais que, a jusante, irá resultar na redução do risco das doenças acima referidas e uma melhoria do funcionamento intestinal, perda de peso, e até uma redução da inflamação do organismo.

Reducitarianismo: como reduzir o consumo de carne

Apesar de não existir uma solução mágica ou regras específicas quanto à adoção do reducitarianismo, quem se sente atraído por esta filosofia de vida pode reduzir o consumo de carne através de algumas estratégias que o fundador da Reducetarian Foundation indica. A saber:

– Começar por definir um dia por semana para não consumir carne ou outros produtos animais. Pode, por exemplo, ingerir proteína animal apenas ao fim de semana.

Publicidade

Publicidade