Início » Herald Social » Importância da Saúde Oral
Saúde e Bem-Estar

Importância da Saúde Oral

Importância da Saúde Oral
Importância da Saúde Oral

A saúde oral dos portugueses já conheceu melhores dias. Esta é uma das conclusões de um recente estudo da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) que assinala que os portugueses são os cidadãos da Europa que mais sofrem de doenças orais.

Esta realidade faz com que seja determinante sublinhar cada vez mais a importância de cuidar da saúde dos dentes, algo que passa, necessariamente, por uma higiene oral diária, alimentação cuidada pelo agendamento de visitas periódicas ao médico dentista.

Ao longo das próximas linhas vamos explicar em pormenor a importância de uma boa higiene oral e as estratégias que devemos adoptar diariamente para que nada macule o nosso sorriso e tenhamos uma boca mais sã.

Importância da Higiene Oral na nossa Saúde

Apoiamo-nos novamente no relatório da entidade que rege os dentistas em Portugal para verificarmos que quase metade da população portuguesa não vai ao dentista há mais de um ano. Este comportamento aumenta, exponencialmente, a probabilidade do aparecimento de problemas como cáries, gengivite, periodontite, halitose, abcessos, sensibilidade dentária ou tártaro.

Estas não são, contudo, as únicas doenças decorrentes de más práticas de higiene oral. Ignorar as regras básicas da saúde oral deixa-nos mais vulneráveis às bactérias presentes nos alimentos e bebidas que consumimos e que podem provocar a inflamação dos tecidos à volta do dente.

Este processo inicia-se logo alguns minutos após o contacto das bactérias com a boca, pelo que uma boa higiene oral é a melhor defesa da saúde da sua boca.

Para além destas doenças do trato oral, a negligência com a nossa higiene oral pode afetar outras áreas do corpo. Esse é o caso da endocardite, um problema cardíaco que resulta de infeções provocadas pelas bactérias que entram pela boca e se espalham pela corrente sanguínea.

Existem ainda alguns estudos que fazem a conexão entre doenças como o entupimento arterial e os derrames cerebrais e as infeções provocadas por bactérias alojadas na boca.

Uma boa higiene da sua boca não contribui apenas para a sua saúde oral. Manter uma boca sã promove a autoestima e o bem-estar psicológico fazendo sorrir sem receios.

Estratégias para proteger a nossa Saúde Oral

A forma de mitigar ou travar a ocorrência dos problemas acima mencionados passa, indubitavelmente, por uma cuidada e persistente estratégia de higiene oral.

Fazê-lo não é difícil, basta ser disciplinado e cumprir algumas indicações recomendadas pelos especialistas da área, tais como:

– Escove os dentes pelo menos duas vezes por dia (30 a 60 minutos após cada refeição), de preferência com uma pasta dentífrica com flúor;

– Bocheche com um elixir dentário uma vez por dia;

– Use o fio dental, antes ou após a escovagem, de forma diária;

– Deve substituir a sua a escova de dentes sempre que as cerdas estiverem desgastadas ou de três em três meses;

– Vá ao dentista com regularidade, de preferência duas vezes por ano;

– Evite fumar.

Alimentação para uma melhor Saúde Oral

Uma boa higiene oral passa, igualmente, por adoptar hábitos de alimentação saudáveis, uma vez que os ácidos que resultam do processo de transformação dos açúcares e hidratos de carbono que a saliva efetua podem afetar a saúde do esmalte e acelerar a decomposição dos dentes.

Por isso, a sua alimentação deve privilegiar alimentos ricos em fósforo e cálcio como queijo, carnes brancas, nozes, leite e vegetais (brócolos e espinafres à cabeça). Estes produtos são excelentes promotores de uma maior proteção e fortalecimento do esmalte dentário.

Além disto, numa dieta alimentar amiga da saúde oral deve estar incluídas frutas como maçã ou a pera. Como têm um elevado teor de água, estes alimentos estimulam o fluxo da saliva que ajuda a diluir os efeitos noviços dos açúcares.

Ainda dentro dos alimentos a privilegiar, temos que assinalar as pastilhas elásticas. Sim, ouviu bem. As pastilhas elásticas, desde que sem açúcar, estimulam o fluxo salivar e aumentam a produção de cálcio e fosfato, dois fatores que ajudam a fortalecer o esmalte dentário e a prevenir a cárie dentária.

Do lado oposto, devemos evitar, pela sua elevada composição de açúcar ou ácido, os doces, as batatas fritas, os citrinos, o pão branco, refrigerantes e bebidas desportivas e a fruta enlatada.

Para além disto, pense em moderar o consumo de café e álcool pois contêm substâncias que diminuem a produção de saliva, tornando a boca mais seca, o que aumenta o desenvolvimento bacteriano.

Publicidade

Publicidade