Início » freelancer » De que forma 2021 vai mexer na sua carteira?
Finanças Pessoais

De que forma 2021 vai mexer na sua carteira?

De que forma 2021 vai mexer na sua carteira
Aumentos nas pensões e salário mínimo, um novo apoio social, alívios na retenção na fonte de IRS e outras mudanças para 2021.

Mal o relógio dá a sua última badalada, as esperanças renovam-se em que o novo ano nos traga uma carteira mais recheada, mas o que podemos esperar de 2021?

Aumentos nas pensões e salário mínimo, um novo apoio social, alívios na retenção na fonte de IRS ou a extensão do tempo de subsídio de desemprego são algumas das mudanças que o Orçamento de Estado para 2021 vai impor ao seu orçamento familiar e que de seguida lhe daremos a conhecer na íntegra.

Como 2021 vai mexer na sua carteira

  • Salário mínimo sobe 30 euros

A partir do dia 1 de janeiro de 2021,o salário mínimo sobe 30 euros para os 665 euros.

  • Pensões até 658 euros têm aumento extraordinário de 10 euros

As pensões até 658 euros (1,5 vezes o IAS) beneficiam, a partir de janeiro de 2021, de um aumento extraordinário de dez euros. As demais pensões ficam congeladas.

Ainda para 2021, a idade da reforma sobe para os 66 anos e seis meses e o fator de sustentabilidade a aplicar às pensões antecipadas aumenta para 15,5%.

  • Limite mínimo de Subsídio de desemprego aumenta

O limite mínimo do subsídio de desemprego passa, em 2021, de 438,81 euros (valor do Indexante dos Apoios Sociais – IAS) para 504,6 euros (1,15 vezes o IAS), mas apenas nas situações em que as remunerações que serviram de base ao cálculo da prestação correspondam, pelo menos, ao salário mínimo nacional.

  • Extensão do tempo de subsídio de desemprego

Para além do aumento limite mínimo, os subsídios de desemprego que terminarem em 2021 serão prorrogados por seis meses. O trabalhador não necessita de entregar um pedido para o efeito, uma vez que todo o processo é automático.

  • Novo apoio social

Os portugueses que não disponham de qualquer proteção social (subsidio de desemprego, RSI, etc.) passam, em 2021, a poderem ter acesso a um novo apoio que varia entre 50 euros e 501,16 euros.

Podem candidatar-se a este apoio trabalhadores por conta de outrem, trabalhadores independentes, sócios-gerentes e trabalhadores informais.

A prestação será paga por 12 meses aos trabalhadores dependentes, independentes e sócios-gerentes que percam o subsídio de desemprego ou o posto de trabalho. Os demais recebem o apoio por seis meses, seguidos ou interpolados.

  •  Trabalhadores em lay-off pagos a 100%

Ao contrário do que sucedeu em 2020, os trabalhadores que se encontrem em lay-off irão ser pagos a 100%.

  • Creches gratuitas

Em 2021 vai assistir-se ao alargamento das creches gratuitas aos agregados familiares que pertençam aos 1.º e 2º escalões de rendimento da comparticipação familiar.

  • Proibido o corte de água, luz, gás e comunicações durante os primeiros seis meses de 2021

O Orçamento de Estado para 2021 traz uma norma que proíbe o corte de água, electricidade, gás e comunicações durante o primeiro semestre do ano.

  • Isenção de IRS para contribuintes que auferem até 635,35 euros

O mínimo de existência sobe dos atuais 9215,01 euros anuais para 9315 euros anuais para o IRS de 2020, a liquidar em 2021.

Isto significa que os contribuintes com rendimentos mensais até 635,35 euros ficam isentos do pagamento de IRS.

  • Gastos com ginásios, máscaras e gel passam a ser dedutíveis no IRS

Tal como já acontece com inúmeras outras despesas, os contribuintes vão passar a poder deduzir 15% do IVA do ginásio, até uma dedução máxima de 250 euros.

Dentro da rubrica das despesas com Saúde, passam ainda a ser considerados os gastos com máscaras, viseiras e gel desinfetante.

  • Redução do preço das portagens em ex-SCUT e em auto-estradas do Interior

Passageiros particulares frequentes e os veículos de transporte de passageiros vão ter descontos na passagem pelas portagens das antigas SCUT (auto-estradas sem custos para os utilizadores).

Publicidade

Publicidade