Início » Formação » Recursos Humanos: a importância do departamento nas empresas
Carreira Formação

Recursos Humanos: a importância do departamento nas empresas

Departamento de Recursos Humanos
No momento atual, os modelos de gestão empresarial perceberam que o maior capital de que dispõem é o capital humano.

Conseguia imaginar a sua empresa sem um departamento de Recursos Humanos? No momento atual, em que os modelos de gestão empresarial perceberam que o maior capital de que dispõem é o capital humano, a resposta é um cabal não.

O grau de especialização requerido para fazer face ao competitivo mundo empresarial e a necessidade de uma empresa manter os seus ativos humanos motivados e produtivos, transforma o departamento de Recursos Humanos (RH) num dos mais importantes no organograma de uma organização de sucesso.

A importância do departamento de Recursos Humanos numa empresa

Os recursos humanos são a base de qualquer estrutura organizacional e estão intimamente ligados a um bom desempenho empresarial. Isto é, para que uma empresa alcance vantagem competitiva sobre a concorrência, é importante que exista, internamente, uma boa gestão dos seus trabalhadores de modo a potenciar a eficiência dos mesmos.

Assim surge o departamento de Recursos Humanos com o intuito não só de selecionar os melhores trabalhadores para a empresa, como o de definir uma estratégia e aplicação de práticas de gestão de recursos humanos que garanta resultados comportamentais e de desempenho que contribuirão para a obtenção de melhores resultados financeiros.

Produtividade, harmonia e cooperação mútua são os três pilares da atuação do departamento de RH, contudo, as suas funções não se limitam às estratégias de seleção dos melhores trabalhadores e motivação dos mesmos para o atingir dos objetivos produtivos e, consequentemente, financeiros da empresa.

Por ser essencial para o sucesso da empresa, a lista de responsabilidades do RH é ampla. Entre as suas principais funções contam-se:

  • Tratamento de todos os assuntos burocráticos, incluindo recrutamento, despedimentos, processamento de salários, etc;
  • Identificar e selecionar perfis profissionais qualificados para os mais diversos cargos de uma empresa;
  • Identificar, gerir e monitorizar os perfis comportamentais de cada colaborador e como estes podem criar uma atmosfera de produtividade;
  • Criar, instituir e monitorizar as políticas internas da empresa;
  • Promover formações e ações de motivação das equipas de trabalho;
  • Promover ações que incentivem o engajamento dos colaboradores;
  • Procurar incentivos financeiros para a empresa (programas de financiamento estatal, por exemplo).

Por tudo isto se percebe que, os Recursos Humanos, dentro de uma empresa, são o elemento mais importante da fórmula do sucesso. A autonomia criativa e a capacidade de inovação, aliadas às competências técnicas, convertem as pessoas num dos pilares das organizações e num recurso ativo da empresa, mas para que toda esta “orquestra” toque afinada tem que ter à frente um maestro que valorize, estimule e direcione todo o seu potencial para a concretização dos objetivos corporativos, convertendo-se assim em valor para a empresa.

Isso, como vimos é tarefa do departamento de Recursos Humanos, o maestro não só na gestão das pessoas que trabalham numa empresa, mas também na gestão dos processos de uma forma criativa e inovadora que melhore o ambiente dentro da empresa e aumente a satisfação dos trabalhadores promovendo assim o envolvimento e compromisso destes para com a organização.

 

Publicidade

Publicidade