Quantcast
Saúde & Bem EstarSaúde Mental

Ansiedade: identifica os sintomas e descobre como prevenir

ansiedade

A vida é feita de desafios, mas nem todos reagimos da mesma forma perante eles. Ter um teste na escola pode revelar-se um problema para quem não sabe lidar com a ansiedade e a responsabilidade de um momento importante. Acontece o mesmo com outros episódios que fazem parte da vida.

As pessoas vivem regularmente momentos deste género, nomeadamente a nível pessoal (uma prova na faculdade, um exame de condução, um primeiro encontro, o dia do casamento,…) e profissionalmente (uma entrevista para o emprego que tanto se quer ter; a apresentação de um trabalho em público,…).

A ansiedade manifestada por muitas pessoas nestas ocasiões pode revelar-se bastante prejudicial, até porque a ansiedade pode surgir devido a algo bem mais grave que se pode ter, mas que permanece escondido. 

Desta forma, a ansiedade é um problema que deve ser bem analisado, pois, caso não seja encarado com a devida seriedade, pode camuflar distúrbios, preocupação, apreensão, nervosismo ou medo. 

Convém identificar o tipo de ansiedade com que se está a lidar. Quando ela se manifesta regularmente e de modo intenso, ela pode comprometer verdadeiramente o bem-estar e a saúde emocional de uma pessoa.

Quem pode ser afetado pela ansiedade?

A ansiedade pode manifestar-se em pessoas de qualquer idade e sexo, inclusivamente em crianças (a chamada ansiedade infantil). A ansiedade pode manifestar-se em adultos/jovens adultos, em crianças e até em pessoas mais idosas. 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que as perturbações de ansiedade são mais frequentes no sexo feminino. No entanto, os homens também podem ser afetados. Segundo os dados mais recentes da OMS estima-se que há no planeta mais de 300 milhões de pessoas a sofrer de ansiedade. 

Principais sintomas de ansiedade

Iremos identificar os principais sintomas de ansiedade. Saber identificá-los é importante. A ansiedade pode surgir devido a distúrbios que comprometem o teu bem-estar. Se te preocupas com a tua saúde, deves ter isso em atenção. 

Problemas digestivos

Há pessoas extremamente ansiosas que vão frequentemente à casa de banho, na véspera de um momento importante. É comum lidar com dores de barriga, má digestão, diarreia, entre outros problemas do género. Em alguns casos, podem surgir gastrites ou úlceras.

Tensão muscular

Há outras partes do corpo que sofrem com os problemas de ansiedade, uma vez que ela gera grande tensão muscular. As dores na nuca, nos ombros e até nas costas podem surgir devido a essa tensão frequente.

Inquietação constante

Alguém que sofre regularmente de ansiedade vive numa angústia. Mesmo que essa pessoa queira permanecer quieta, simplesmente não consegue. A ansiedade manifestada regularmente gera uma inquietação constante. Por isso, surgem falhas de concentração e sintomas de fadiga.

Manifestações físicas

Alguns problemas físicos já foram mencionados (nomeadamente desconforto abdominal, diarreia, micção frequente, cansaço rápido,…). Contudo, existem outros distúrbios que podem surgir. Eis alguns deles:

  • suor excessivo;
  • mãos frias e suadas;
  • tremores;
  • calafrios;
  • ondas de calor;
  • boca seca;
  • dificuldade em engolir;
  • sensação de engasgar;
  • sensação de falta de ar ou asfixia;
  • tontura e náusea;
  • coração acelerado.

Sono disfuncional

Fruto da ansiedade, as insónias tendem a surgir na véspera de momentos importantes. Como dormir é algo essencial ao nosso bem-estar, ter dificuldades em fazê-lo, revela-se outro problema que causa consequências. 

Pânico de público

O desafio de fazer uma apresentação pública é frustrante para algumas pessoas. Este é um dos cenários que gera grande ansiedade. Quando há obrigação e não há forma de fugir, a ansiedade manifesta-se numa sudorese excessiva, mãos geladas, entre outros sintomas. 

Devido ao medo de falar perante uma plateia, a pessoa com ansiedade pode revelar problemas de falta de ar e apresentar uma respiração ofegante. Ocasionalmente, este contexto pode levar ao surgimento de problemas de taquicardia.

Ataque súbito de nervos

Ocasionalmente, quando estão perante pequenas contrariedades, as pessoas ansiosas demonstram grande irritabilidade. Por vezes, nem se apercebem que o fazem. Elas revelam frequentes alterações de humor. Estas podem manifestar-se de forma súbita e injustificada.

Preocupação excessiva

O futuro é algo que não se pode dominar. Essa falta de conhecimento sobre o amanhã gera grande ansiedade e stress nestas pessoas. 

Quando estas pessoas lidam com determinados problemas (nomeadamente financeiros, como o desemprego) podem apresentar sintomas como dores de cabeça e úlceras, além do seu sistema imunológico também poder ser afetado. 

Pensar de forma obsessiva

Pensar bem não é um problema. Trata-se de uma excelente qualidade. No entanto, quando há uma incapacidade de se desligar, torna-se problemático. Não há o foco no que é importante, quando se pensa constantemente em algo, de forma obsessiva.

Apesar de ser criada a ilusão de controlo, essa vivência pode revelar-se angustiante, podendo desencadear determinados tipos de transtorno, tais como:

  • Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC);
  • Transtorno bipolar;
  • Transtorno de Pânico;
  • Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG);
  • Distimia e depressão.

Obsessão pelo perfecionismo

Uma pessoa que pretenda controlar tudo e ter tudo na perfeição lida constantemente com a frustração. O perfecionismo é uma meta exagerada. As pessoas cometem erros, exageram nas expectativas, sonham. 

Ora, há efeitos negativos em quem exige de si o impossível, gerando desgaste físico e psicológico. Esta realidade leva à insatisfação e à infelicidade. 

Medos irracionais

Os medos também afetam muito o indivíduo e há diversas razões para isso acontecer. Os seus efeitos raramente são positivos, principalmente quando eles se revelam irracionais. O medo pode comprometer a pessoa e prejudicar qualquer relação (amorosa, familiar, laboral) que ela pretenda manter. 

Ter medo de fracassar, de ficar sozinho, de ser traído, de confiar pode colocar em perigo qualquer relação, mesmo uma que tenha tudo para ser positiva e benéfica para a pessoa.

Receios “por tudo e por nada”

Há pessoas que conseguem ver perigo em todos os contextos e à menor coisa dramatizam a situação. Tudo serve de motivo para criar a ilusão de se estar perante um problema grave. 

Comer sem parar

A comida gera uma sensação de conforto em muitas pessoas. Elas tentam superar a ansiedade comendo. Elas sentem-se melhor enquanto comem. Com isso, deixam de lidar com algumas frustrações.

Comer doces, chocolates, gelados,… gera conforto. Estes alimentos aliviam a tensão nestas pessoas. Posteriormente, têm de lidar com outro problema: o aumento do peso e a frustração de lutar contra a balança pode levar a depressões profundas.  

É fundamental identificar estes problemas, antes dos apresentarem dimensões significativas. Para se ter uma vida mais feliz, é importante saber desdramatizar para preservar a racionalidade e fazer as melhores opções, seja para o presente, seja para o futuro.

Tratamento da ansiedade

A ansiedade faz parte da vida. Trata-se de um fenómeno universal. É possível reduzir ou evitar reações ansiosas com algumas mudanças no quotidiano, estabelecendo diferentes hábitos. 

Em casos em que os sintomas da ansiedade persistem ou desencadeiam outros mais intensos, a solução pode passar por procurar um psicólogo. Pode ser um passo importante fazer terapia. 

Muitas pessoas ansiosas beneficiam com esse tipo de acompanhamento que ajuda a garantir uma melhor saúde mental, proporcionando caminhos para administrar o transtorno de ansiedade generalizada no quotidiano.

Em determinados casos, pode ser necessário recorrer a medicação. É importante ter noção que a automedicação deve ser sempre evitada. Naturalmente, os medicamentos deverão ser prescritos pelo médico, sempre. 

Ora, quando há um tratamento de longa duração, a pessoa em causa deve ser acompanhada cuidadosamente. O recurso a fármacos pode ser complementado com apoio psiquiátrico. 

Dicas para controlar a ansiedade

Como se disse anteriormente, adotar hábitos simples no quotidiano pode permitir a diminuição dos estados de ansiedade. Eis algumas estratégias para controlar a ansiedade:

  • Realizar técnicas de relaxamento;
  • Fazer meditação;
  • Ter hobbies;
  • Dormir bem;
  • Fazer por ser mais sociável;
  • Ter uma prática desportiva regular;
  • Fazer por ter bons pensamentos;
  • Treinar a respiração profunda;
  • Fazer uma boa gestão e organização do tempo; 
  • Realizar uma comunicação regular e eficaz com os outros (tanto no trabalho, como em casa);
  • Dormir bem é, também, muito importante.
Related posts
SaúdeSaúde & Bem Estar

Ácido úrico elevado: o que é, sintomas e causas

SaúdeSaúde & Bem Estar

Blefarite: como tratar a inflamação das pálpebras

SaúdeSaúde & Bem Estar

Rosácea: mais do que vermelhidão

NutriçãoSaúdeSaúde & Bem Estar

Leite de vaca: 10 benefícios para a saúde