Quantcast
Crédito AutomóvelCréditosFinançasFinanças Pessoais

Qual a diferença entre um Crédito Pessoal e um Crédito Automóvel?

diferença entre um Crédito Pessoal e um Crédito Automóvel

Quando o desejo ou a necessidade de comprar um carro esbarra na falta de financiamento, a solução passa, quase invariavelmente, pela contratação de um Crédito Pessoal ou, em alternativa, de um Crédito Automóvel, mas saberá qual a diferença entre elas?

Como veremos ao longo deste artigo, a grande diferença entre estas duas soluções de crédito encontra-se, precisamente, na amplitude da sua finalidade, isto é, enquanto um crédito pessoal poderá ser utilizado para o financiamento de uma série de projetos diferentes, o crédito automóvel, por sua vez, apenas tem como destino exclusivo o pagamento de um carro novo ou usado.

Contudo, existem mais elementos a ter em conta, senão vejamos.

Qual a diferença entre um Crédito Pessoal e um Crédito Automóvel?

A simplicidade de contratação e a sua amplitude de finalidades faz do crédito pessoal a solução financeira mais procurada pelos portugueses. Os montantes de financiamento desta solução financeira variam, normalmente, entre os 500 euros e os 75 mil (máximo permitido) para prazos de pagamento de entre os 12 e os 84 meses (7 anos)

Para além de não obrigar a que seja utilizado numa finalidade específica, o facto de apresentar uma grande flexibilidade de pagamento que permite, por exemplo, amortizar o valor de crédito ao longo de um maior período de tempo ou encurtar o prazo e pagar uma mensalidade mais alta, mas um menor volume de juros, faz do crédito pessoal uma excelente ferramenta financeira para a compra de um automóvel novo ou usado.

Ao contrário do crédito pessoal, como já referimos, o crédito automóvel tem como única e exclusiva finalidade a compra de um automóvel, isto é, não poderá utilizar o crédito obtido para realizar obras em casa ou fazer uma viagem de férias.

Para além disto, é possível obter 100% de financiamento num crédito automóvel com prazos de até um máximo de 120 meses, mas, aquando da contratação de um crédito automóvel a uma entidade financeira, esta ficará com a reserva de propriedade/hipoteca. Caso opte por não recorrer a 100% de financiamento, terá de dar uma entrada para o carro.

Após a compra do carro novo ou usado com recurso ao crédito automóvel, a viatura ficará no seu nome, mas com reserva de propriedade automóvel a favor da entidade financeira, apesar de no Título de Registo de Propriedade você figurar como o proprietário. 

O que acontece, na prática, é o seguinte: a entidade financeira onde contrata o crédito vai registar na conservatória o direito sobre a viatura em causa. Isto acontece para que a entidade financeira se previna contra qualquer incumprimento do pagamento mensal de crédito ficando com a viatura se isso se verificar.

Caso não pretenda dar o seu carro como garantia do pagamento, será obrigado a colocar de lado a hipótese crédito automóvel e a optar pela contratação de um crédito pessoal.

Por último, outra das grandes diferenças entre estas duas soluções de crédito são as taxas de juros que, por norma, são mais baixas no crédito automóvel do que no crédito pessoal.

Related posts
Finanças

Rendimento Social de Inserção: tudo o que precisas de saber

FinançasFinanças Pessoais

Dicas para poupar nas próximas férias

FinançasSubsídios

Subsídio para assistência a neto: como pedir?

FinançasFinanças Pessoais

Penhora de vencimentos: o que é e quais os limites?