Quantcast
SaúdeSaúde & Bem Estar

Desportos para os miúdos: imensos benefícios para a saúde

desporto para os miúdos

Neste artigo, apresentamos uma lista dos melhores desportos para os miúdos, bem como a fase de desenvolvimento em que estes devem ser praticados.

Desde os desportos coletivos aos individuais, existem muitas atividades físicas apropriadas para os mais novos, sendo que cada uma delas traz consigo as suas vantagens e desvantagens. 

Em primeiro lugar, sensibilizar os mais novos para a prática desportiva é altamente benéfico para o seu desenvolvimento, não só a nível físico, mas também como forma de fortalecer a mente e a personalidade.

Todos os fatores relacionados com uma prática desportiva podem dificultar a decisão. Nem sempre é fácil eleger os melhores desportos para os miúdos, mas tudo pode ser facilitado se tivermos uma noção das habilidades e gostos das crianças (este último é importante para que a criança não desenvolva uma aversão à modalidade).

Numa fase inicial, os desportos individuais são a melhor opção, devido ao seu caráter mais simples e próprio. Quando ficarem mais velhos, podem investir em desportos coletivos e mais complexos, com o objetivo de desenvolver algumas capacidades sociais.

É importante relembrar que o que realmente importa é o mais novo tirar o máximo de proveito e gozo da modalidade, visto que isso criará um afeto emocional positivo associado à prática desportiva.

Passados uns anos, quando a criança desenvolver uma maior capacidade de lidar com a pressão, a especialização poderá ser uma prioridade a ter em conta.

Apresentamos, então, algumas sugestões de desportos, bem como as faixas etárias em que estes devem ser tidos em consideração.

Lista de idades e desportos ideais

Até aos três anos de idade

Nesta fase inicial, é necessário entender que a modalidade deverá estar sempre associada a um contexto lúdico e de diversão. 

Geralmente, desportos individuais de água, como natação, são os mais apropriados, não só para o bem-estar físico da criança, como também para o bem-estar mental e emocional, visto que esta encarará a prática de desporto como algo que a deixa animada.

Dos três aos seis anos de idade

Esta é mais uma fase de desenvolvimento que deve ter em conta a diversão e felicidade da criança, podendo-se, no entanto, aumentar o grau de complexidade.

Ginástica, dança ou até mesmo a natação ajudam a aprimorar a coordenação motora. Porém, atenção! Os miúdos devem sempre ser acompanhados por um profissional da área, de modo a evitar lesões, que se poderão, inclusive, tornar crónicas.

Dos seis aos 11 anos de idade

Depois de vários anos de vida a associar a atividade física a algo puramente divertido, está na altura de começar a ponderar, junto da criança, qual o desporto que a mesma quer praticar.

As melhores opções tendem a passar por desportos mais complexos, como ténis ou atletismo, sendo que, modalidades de grupo, como futebol ou basquetebol, são também escolhas perfeitas, visto que ajudam a desenvolver a capacidade dos miúdos em trabalharem em equipa.

A partir da pré-adolescência

A partir daqui, o processo de escolha torna-se mais fácil, dado que a criança já definiu um pouco mais os seus gostos, vontades e capacidade de decidir. 

Os desportos para os miúdos devem, no entanto, abranger algum tipo de coletividade, pois são importantes para integrar a criança numa comunidade ou grupo. Ao mesmo tempo, desenvolverá uma veia mais competitiva, visto que é a na adolescência que a especialização numa área começa a tornar-se mais evidente.

Related posts
Saúde & Bem EstarSaúde Mental

Ansiedade: identifica os sintomas e descobre como prevenir

SaúdeSaúde & Bem Estar

Ácido úrico elevado: o que é, sintomas e causas

SaúdeSaúde & Bem Estar

Blefarite: como tratar a inflamação das pálpebras

SaúdeSaúde & Bem Estar

Rosácea: mais do que vermelhidão