Quantcast
CréditosFinançasFinanças PessoaisNacional

Crédito Pessoal 2024: descubra as soluções mais baratas do mercado português

Crédito Pessoal - Finanças

Para os portugueses que procuram financiamento para não deixarem os seus projetos em banho-maria, investirem ou saldarem uma fatura de uma despesa inesperada, o crédito pessoal é a primeira opção.

O que é um crédito pessoal?

Na prática, um crédito pessoal é uma solução financeira que dá ao consumidor a oportunidade de usufruir de financiamentos entre 200 euros e 75 mil euros que poderá reembolsar entre 24 e 84 meses sem que, para tal, tenha de justificar o fim para o qual o dinheiro se destina.

Para além dos valores de financiamento e prazos de reembolso generosos, o crédito pessoal apresenta taxas de juro inferiores aos dos cartões de crédito, a sua aprovação é substancialmente mais rápida e menos burocrática do que as restantes soluções financeiras existentes, especialmente com a possibilidade de poder, hoje em dia, podermos contratualizar um crédito pessoal online.

Caso, ao fim de algum tempo, o valor pedido se mostre insuficiente, o consumidor pode sempre pedir um reforço do seu crédito pessoal até um máximo de 75 mil euros.

De notar que, em média, a aprovação de um crédito pessoal online ronda os oito dias uteis, o que permite uma mais fácil gestão de um pagamento ou investimento urgente. Uma vez aprovado, o dinheiro entra na conta bancária do consumidor em 48 horas.

Saiba como simular um crédito pessoal, aqui.

O que ter em atenção antes de contratar um crédito pessoal?

Apesar da facilidade de contratação, um crédito pessoal será sempre uma solução financeira, algo que exigirá da sua parte uma avaliação atenta de vários fatores. Entre eles, os mais importantes são:

• Taxas de Juro

Antes de contratar um crédito pessoal, deve prestar atenção às taxas de juro, nomeadamente a TAEG e a TAN:

TAEG: a Taxa Anual de Encargos Efetiva Global ou, simplesmente, TAEG, é uma taxa que nos permite ficar a saber, de forma antecipada, todos os encargos financeiros que o crédito pessoal nos trará.

Na prática, a TAEG engloba os custos com:

– os juros;

– as comissões;

– as despesas (impostos e emolumentos relativos ao registo da hipoteca, no caso de se tratar de um crédito com garantia hipotecária); 

– os seguros exigidos para obtenção do crédito;

– a comissão de manutenção de conta à ordem, cuja abertura seja obrigatória para a gestão do empréstimo;

– a remuneração do intermediário de crédito, caso essa remuneração seja paga pelo consumidor, o que sucede quando recorre a um intermediário de crédito não vinculado;

– outros encargos associados ao contrato de crédito.

Para efeitos de comparação entre diferentes propostas de crédito, a solução que apresente a TAEG mais baixa, será a mais barata para si.

TAN: a Taxa Anual Nominal corresponde ao juro do crédito (preço do dinheiro) que, por sua vez, resulta da soma do Spread com o Indexante (taxa de juro Euribor, por norma).

Para além da TAEG e da TAN, preste atenção ao MTIC (Montante Total Imputado ao Consumidor), que é a soma total dos encargos que terá pelo empréstimo concedido, ou seja, o valor total em que terá de reembolsar o banco/instituição de crédito ao longo do período de vigência do contrato de crédito.

De referir que, quando pedir um crédito pessoal pode optar por uma taxa de juro fixa, variável ou mista, e o crédito pode ainda estar indexado à Euribor a 3, 6 ou 12 meses.

• Calcule a sua Taxa de Esforço

Tal como acontece com qualquer decisão que envolva finanças, é importante que o consumidor avalie a sua condição financeira.

Esta avaliação passa sempre pelo cálculo da sua Taxa de Esforço utilizando a seguinte fórmula:

Taxa de Esforço = Encargos financeiros com as prestações de crédito / Rendimento Líquido Total do Agregado x 100

Assim, através deste cálculo, fica não só a perceber que fatia do seu orçamento mensal será destinado ao pagamento do crédito pessoal, mas também para garantir a aprovação do seu pedido de crédito, já que, caso a taxa de esforço ultrapasse os 35% recomendados pelo Banco de Portugal, poderá ter dificuldades em ver o seu pedido aprovado.

• Não tenha registo de incumprimentos

Para ver o se pedido de crédito aprovado, é importante que não tenha registo de incumprimentos na Central de Responsabilidades de Crédito (CRC) que se encontra na área de cidadão do site do Banco de Portugal.

Caso exista alguma nota de incumprimento, a aprovação do crédito poderá ser mais complicada ou até mesmo impossível.

Para além disto, de modo a acelerar a aprovação do seu pedido de crédito, tenha o saldo da sua conta bancária sempre no positivo, apresente provas de estabilidade profissional e de rendimentos.

• Compare as propostas existentes no mercado

Antes de partir para a contratação de um crédito pessoal, é essencial fazer uma análise das muitas e variadas propostas existentes no mercado financeiro português. Para o ajudar nesta tarefa, faça uso dos simuladores de crédito que os bancos/instituições financeiras lhe disponibilizam.

Nota: eia com atenção todas as informações do contrato conferindo quanto e quando vai pagar e quais as condições. Para além disto, informe-se sobre potenciais custos adicionais, como comissões de abertura e impostos (o imposto de selo é o mais comum).

Como contratar um crédito pessoal?

Quando o objetivo é pedir um crédito pessoal, existem duas opções de contratação à sua escolha: num balcão físico ou através da Internet.

Como referimos, a opção online acaba por ser a mais eficiente, já que não exigirá tanta burocracia, o que levará, consequentemente, a uma decisão mais rápida.

Com as nossas recomendações em cima da mesa, é altura de passar ao pedido de crédito pessoal online propriamente dito. A primeira coisa a fazer é abrir o browser do seu PC, smartphone ou tablet e fazer uma pesquisa por expressões como “crédito pessoal” ou “crédito pessoal online”.

Depois de clicar no “enter”, ser-lhe-ão apresentados uma série de resultados para instituições de crédito e suas soluções de crédito pessoal online. 

Ao entrar numa destas páginas, vai encontrar imediatamente um simulador de crédito que lhe permitirá não só calcular o valor da prestação mensal em função do montante prazo de reembolso escolhido, como também ficar a saber qual a TAEG, TAN e MTIC respetivas.

Caso o resultado da simulação lhe agrade e pretenda passar à contratualização imediata, basta clicar na barra ou botão que, normalmente, acompanha o simulador e que o reencaminha para o preenchimento de um formulário online.

Neste formulário, para além das informações pessoais relevantes, ser-lhe-á pedido que anexe uma série de documentos.

Entre os documentos pedidos contam-se, normalmente, o:

– Cartão de Cidadão;

– Última declaração de IRS;

– Últimos 3 recibos de vencimento

– Comprovativo de morada

– Comprovativo de NIB/IBAN

Como sublinhamos anteriormente, depois de submetido o pedido, a avaliação demorará, em média, 8 dias uteis.

Quais os 5 créditos pessoais mais baratos do mercado?

Como é natural, todos procuram a solução financeira que lhe apresente menores custos, por isso, de forma a atalhar o seu processo de comparação entre as diversas soluções de crédito pessoal do mercado português, vamos dar-lhe a conhecer os 5 créditos pessoais mais baratos em Portugal.

Para o conseguirmos, teremos em atenção a TAEG, as comissões e a taxa de reembolso para um exemplo prático em que tencionamos pedir 10 mil euros com um prazo de reembolso de 42 meses sem seguro de proteção de crédito.

De acordo com os nossos cálculos, o ranking está assim definido (de notar que as condições de financiamento podem alterar-se de pessoa para pessoa em função da avaliação financeira realizada pelo banco/instituição de crédito):

BancoTAEGPrestação Mensal
ActivoBank11,5%276,48 euros
Credibom12,04%279,65 euros
Oney11,5%282,60 euros
CGD13,3%283,17 euros
Santander15,2%285,07 euros
Related posts
Finanças

Rendimento Social de Inserção: tudo o que precisas de saber

FinançasFinanças Pessoais

Dicas para poupar nas próximas férias

FinançasSubsídios

Subsídio para assistência a neto: como pedir?

FinançasFinanças Pessoais

Penhora de vencimentos: o que é e quais os limites?