Quantcast
FinançasFinanças Pessoais

Combate à inflação: dicas para as famílias

Combate à inflação: dicas para as famílias

Ao longo dos últimos anos, face à crescente taxa de inflação, cada vez que vamos ao supermercado levamos menos alimentos no carrinho e pagamos mais por eles. Para proteger o seu orçamento familiar, preparamos um conjunto de dicas que podem ajudar-lhe no combate à inflação.

A inflação é um aumento persistente do nível geral dos preços dos bens e serviços numa economia durante um determinado período de tempo. 

Em termos práticos, quando os preços aumentam, o poder de compra (ou o valor da moeda) diminui consequentemente. E quando a inflação aumenta, significa que cada unidade de moeda vale hoje menos do que valia há alguns meses. 

Por esse motivo, mesmo que não faça qualquer alteração no seu estilo de vida ou nas suas compras diárias, o montante que gastará será mais elevado.

Desta forma, despesas como as contas do supermercado, eletricidade, portagens, consultas hospitalares, entre outros, sofrem aumentos de preço, impactando a carteira das famílias portuguesas.

Fim do IVA zero

As crescentes taxas de inflação do ano de 2023, levou o Governo a adotar medidas como o IVA zero. Na prática, esta medida isentava um conjunto de 46 bens alimentares da taxa de IVA no comércio. Desta maneira, permitiu a desaceleração da taxa de inflação e o alívio do impacto da mesma na carteira dos portugueses.

Esta medida vigorou desde 18 de abril de 2023, altura em que alguns dos artigos abrangidos, como o azeite, se encontravam no valor mais alto desde o início do ano; e terminou a 4 de janeiro deste ano. 

A partir de dia 5 de janeiro, os produtos abrangidos por esta medida regressaram às taxas de IVA de 6% e 23%, com o consequente aumento de preços. 

Segundo o relatório mensal de janeiro de 2024 do Instituto Nacional de Estatística (INE), o fim desta política, associado a um aumento dos custos da energia, fez a inflação disparar para 2,3% em janeiro, prevendo-se que continue a aumentar ao longo do ano.

Com os preços a subirem e o custo de vida a aumentar, é essencial estarmos preparados para o combate à inflação. Por isso, convido-vos a lerem este post até ao fim e descobrirem estratégias práticas para proteger o teu orçamento familiar.

Estratégias de combate à inflação

Com os preços a subirem em 2024 — que serão transversais a quase todos os setores de atividade, especialmente no que diz respeito aos bens de consumo, energia e rendas — e o custo de vida a aumentar, é essencial estar preparado para combater este desafio financeiro.

Assim, continua a ler este artigo para descobrir estratégias práticas que permitam proteger o seu orçamento familiar, mesmo em tempos de inflação alta.

Atualizar o orçamento familiar

O primeiro passo para enfrentar um período em que os preços tendem a aumentar é planear o vosso orçamento familiar mensal.

Ou seja, aponta todos os gastos detalhadamente, encontra os gastos supérfluos e ajusta as prioridades. Para o efeito, podes utilizar a Regra 50/30/20 — um método para ajudar as famílias a equilibrarem o seu orçamento e a pouparem no caminho. Neste artigo, explicamos-lhe todos os detalhes deste método.

Fazer compras conscientes

Num período onde os preços são tão voláteis — na mesma semana pode visitar o supermercado e levar o mesmo produto por um preço mais acessível —, a pesquisa e comparação de preços tornam-se fundamentais para chegar ao fim de mês sem a corda ao pescoço.

Assim sendo, informe-se sobre os preços, as promoções em vigor e quais as opções mais em conta para a sua carteira. Fique a par das várias maneiras de reduzir as suas despesas domésticas neste artigo

Ter um fundo de emergência

Nestes momentos de crise ou corte de rendimentos, o fundo de emergência torna-se mais fulcral que nunca. Trata-se do baú a que se pode recorrer para fazer face a imprevistos. 

Assim sendo, este fundo de emergência deve corresponder a, pelo menos, metade das tuas despesas anuais ou seis meses das tuas despesas mensais.

Numa altura em que as coisas estão a ficar complicadas para várias famílias, é mesmo importante que crie um fundo de emergência. Descobre neste artigo, como criar um fundo de emergência que lhe permita fazer face às dificuldades provocadas pelo aumento da inflação.

Recorrer ao crédito consolidado 

O crédito consolidado trata-se de um instrumento financeiro que consiste na conjugação de vários créditos num só, e que apresenta condições mais vantajosas e uma mensalidade mais reduzida. 

Ao optar por um crédito consolidado, todos os créditos do seu agregado familiar são abatidos, resultando num único crédito, permitindo poupar um valor considerável ao final do mês.

Conheça todas as vantagens de utilizar o crédito consolidado aqui.

Procurar investimentos mais seguros

Pode parecer estranho falarmos de investimento num momento de crise económica como aquele que a maioria de nós vive, mas atualmente é possível investir com pouco dinheiro.

No entanto, para o combate à inflação, é importante diversificar os vossos investimentos. Isto porque esta ajuda a proteger o vosso património contra a desvalorização da moeda. Considere opções como ações, fundos imobiliários ou até mesmo criptomoedas

Procure por instituições financeiras que disponibilizem taxas de juro competitivas para o seu dinheiro. Assim, o seu capital pode crescer ao longo do tempo, protegendo-o contra a desvalorização causada pela inflação.

Contudo, é importante ter algum conhecimento prévio ou aconselhamento para fazer as melhores escolhas e não ficar a perder. Descobre aqui como começar a investir com pouco dinheiro.

Renegociar contratos

Regularmente, reveja os contratos de serviços que utiliza, como seguros, planos de telemóvel, internet, TV a cabo, entre outros. Identifique oportunidades de melhoria. Primeiro, pesquise ofertas competitivas de outras empresas — compare preços, benefícios e condições — de modo a ter argumentos sólidos para negociar com o seu atual provedor. 

Depois, entre em contacto com a empresa atual e explique que está a considerar outras opções. Seja educado, mas persuasivo e firme.

Por fim, pergunte se há possibilidade de melhorar as condições do contrato. Muitas vezes, eles estarão dispostos a oferecer descontos ou benefícios adicionais para manter um cliente satisfeito.

Related posts
Finanças

Rendimento Social de Inserção: tudo o que precisas de saber

FinançasFinanças Pessoais

Dicas para poupar nas próximas férias

FinançasSubsídios

Subsídio para assistência a neto: como pedir?

FinançasFinanças Pessoais

Penhora de vencimentos: o que é e quais os limites?