Quantcast
AutomóveisDicas

Como evitar a subviragem e sobreviragem na condução

Como evitar a subviragem e sobreviragem na condução

A condução segura é uma habilidade que todos os motoristas devem dominar. Uma parte crucial dessa habilidade é entender e saber como evitar a subviragem e a sobreviragem. Neste artigo, vamos explorar esses dois conceitos e fornecer dicas úteis para evitar esses fenómenos perigosos.

Atualmente, os automóveis modernos estão cheios de mecanismo que ajudam a controlar melhor o veículo. Desde o ESP, ao controlo de tração ou ABS, são vários os sistemas que fazem com que a subviragem e a sobreviragem sejam cada vez mais raras.  

Especialmente, o Controlo de Estabilidade (ESP), que desde a sua criação na década de 80, tem contribuído muito para evitar os acidentes de carro por derrapagem (cerca de 80%). O ESP evita as derrapagens mais comuns, ao combinar as funções de anti-bloqueio dos travões com o sistema de controlo de tração. Desta maneira, a direção não fica bloqueada, facilitando o controlo da trajetória do veículo.

Apesar disto, ninguém está livre de lhe acontecer e, por isso, esperamos poder ajudar-te a entender melhor estes fenómenos.

Subviragem e sobreviragem

Tanto a subviragem como a sobreviragem são termos relacionados com a dinâmica do veículo; mais propriamente, à sensibilidade da direção de um automóvel.

. Se queres compreender as diferenças entre sobreviragem e subviragem; deves primeiro saber a que se referem estes termos.

Subviragem 

Começamos por aquele que, sem dúvida, é o fenómeno mais comum. A subviragem ocorre quando o veículo vira menos do que o condutor pretende. Ou seja, o eixo dianteiro do carro perde aderência, provocando um raio de curva insuficiente, o que leva o veículo a seguir uma trajetória mais aberta do que o desejado.

Por exemplo, nunca te aconteceu entrares numa curva ou rotunda um pouco mais depressa e sentiste as rodas dianteiras a perderem aderência, fugindo para uma trajetória diferente? Se sim, então já estiveste perante um caso de subviragem.

A subviragem é típica dos veículos de tração dianteira porque a distribuição de peso geralmente é mais carregada no eixo dianteiro e porque as rodas dianteiras são responsáveis ​​por fornecer tração e direção.

Causas

  • Entrada na curva com velocidade excessiva;
  • Movimentos bruscos ao entrar na curva;
  • Pneus dianteiros muito gastos;
  • Pavimento escorregadio;
  • Sistema de direção impreciso.

Como agir quando sofrermos uma subviragem?

Nestes casos, o melhor que tens a fazer é manter a calma. É importante reduzir a velocidade antes de entrar numa curva, evitando movimentos bruscos no volante. 

Ao sentir que o carro está a subvirar, o ideal é aliviar o acelerador gradualmente e virar o volante suavemente na direção desejada, permitindo que os pneus dianteiros recuperem a aderência.

Caso o veículo não possua travões ABS, além de soltar o acelerador, será necessário travar aos poucos. Por outro lado, se o veículo possuir o sistema ABS, só deves tramar em situações de extrema necessidade.

De forma geral, deves evitar soltar o acelerador rapidamente porque podes desestabilizar o carro, assim como é recomendado não fazer uma curva fechada porque ao fazê-lo, só vais aumentar a subviragem. Outra medida que ajuda a prevenir a subviragem é manter os pneus em bom estado. 

Sobreviragem

A sobreviragem é o extremo oposto da subviragem: acontece quando o carro vira mais do que o condutor pretende. É frequentemente vista em carros com tração traseira, embora também aconteça em carros com tração dianteira.

Neste fenómeno, quando entras na curva, as rodas traseiras perdem aderência e não seguem o mesmo caminho das rodas dianteiras, afastando-se ainda mais da curva e, portanto, fazendo com que o carro vire muito mais do que é esperado.

Além disso, o veículo pode ter a tendência de soltar a traseira, deslizando em direção ao exterior na curva. De fato, esta manobra pode revelar-se bastante difícil para os condutores com menos experiência, que muitas vezes têm dificuldade em manter o controlo.

Causas

  • Pavimento escorregadio;
  • Má tração das rodas;
  • Desaceleração brusca;
  • Distribuição inadequada do peso ou carga;
  • Mudanças bruscas de direção.

Como agir quando sofrermos uma sobreviragem?

A sobreviragem pode ser evitada através de técnicas semelhantes às usadas para prevenir a subviragem. Assim, se o carro começar a sobrevirar, é importante não entrar em pânico e evitar a tentação de travar bruscamente ou acelerar. 

Já que ao fazê-lo só piorarias a situação — intensificarias ainda mais o efeito da sobreviragem, desencadeando num pião, e no pior dos casos, acidente.

Assim, para corrigir a sobreviragem deves soltar o pedal do acelerador gradualmente enquanto, se necessário, viras o volante suavemente na direção oposta à derrapagem, permitindo que os pneus traseiros ganhem aderência novamente. Caso não consigas corrigir a trajetória e perdas completamente o controlo, terás de travar até parar o carro; evitando assim males maiores, como embater contra um carro na outra via, a saída da estrada, ou um atropelamento.

Diferenças entre subviragem e sobreviragem 

Sobrevirar e subvirar são dois fenómenos que ocorrem nas curvas. Mas não é a única semelhança que apresentam: ambos podem ser causados ​​por entrar numa curva a uma velocidade excessiva, por fazer movimentos bruscos ao volante, por conduzir num pavimento escorregadio, ou, por ter a suspensão, pneus e direção em mau estado.

Na tabela a seguir, apresentamos as principais diferenças entre os dois fenómenos:

Related posts
AutomóveisEventos

Carro do ano 2024: os finalistas

AutomóveisDicasManutenção

Como poupar na manutenção do carro?

AutomóveisManutenção

Avarias graves: o que fazer para evitar?

AutomóveisDicasManutenção

Carro parado? Vê quais os cuidados a ter