Quantcast
CarreiraDicasFormação & Carreira

Inteligência Emocional no Trabalho: como aplicar no dia a dia

Inteligência Emocional no Trabalho: como aplicar no dia a dia

Todos conhecemos a importância de possuir um elevado quociente de inteligência, ou QI, em qualquer contexto profissional, mas sabias que existe outro quociente que tem grande valor para os empregados? É conhecido como inteligência emocional e implica compreender e identificar as próprias emoções, bem como as dos que te rodeiam no trabalho.

Se segues algum especialista de recursos humanos no LinkedIn, de certeza que já passaste por uma publicação que destacava a importância da inteligência emocional nos trabalhadores.

De fato, a inteligência emocional é um termo que ganhou muito destaque no contexto laboral nos últimos anos. Mas sabes o que realmente significa? E como a podes utilizar para melhorar o teu dia a dia profissional?

Vem daí e descobre, neste artigo, como esta habilidade pode melhorar o teu quotidiano profissional, proporcionando um ambiente mais saudável e produtivo à tua empresa.

O que é inteligência emocional?

A inteligência emocional é a capacidade de identificar, compreender e gerir os próprios sentimentos e os daqueles que estão à tua volta. Ou seja, é perceber o que os causa e entender como controlá-los. 

Esta definição está presente no livro Inteligência Emocional, de Daniel Goleman. O autor é responsável por popularizar o termo, que teve o seu primeiro registo num artigo do psicólogo americano Hanskare Leuner, publicado em 1966.

A inteligência emocional no trabalho é uma competência comportamental, ou soft skill, que se sustenta em quatro pilares: reconhecer as emoções; usar as emoções; entender as emoções; e gerir as emoções. 

No contexto profissional, esta aptidão não só é importante para trabalhares eficazmente sob pressão, como para estabeleceres relações interpessoais saudáveis e resolveres conflitos. De uma maneira geral, ela consiste em saber reconhecer, avaliar e influenciar os teus próprios sentimentos e os dos outros nas relações profissionais. 

Como aplicar a inteligência emocional no dia a dia

Desenvolver a inteligência social, é uma ótima maneira de melhorar não somente a tua vida pessoal, como o teu quotidiano no trabalho. Assim, para aplicar a inteligência emocional no trabalho eficazmente, é fundamental compreender as suas 5 habilidades-chave. 

As três primeiras habilidades são mais conectadas ao teu “eu” interno. Basicamente, falam sobre a ideia de que uma mudança só acontece quando olhas primeiro para dentro. 

Esse autoconhecimento ajudará na busca das duas últimas competências. Ambas possuem um sentido mais externo. Ou seja, como lidas com o mundo e com as emoções das outras pessoas. 

Eis, os 5 atributos da inteligência emocional no trabalho:

Autoconsciência

Trata-se do conhecimento que temos de nós próprios, compreendendo as nossas emoções e as ações que tomamos com base nelas. 

Ainda assim, não se trata só de saber os nossos pontos fortes e fracos, valores, paixões e aspirações; mas também como estes são percecionados pelas outras pessoas. 

Autogestão

É a capacidade de controlar os impulsos e o mau-humor. Ou seja, não deixar que as tuas emoções tomem o controlo, principalmente durante situações desafiantes.

De uma maneira geral, a autogestão no contexto laboral consiste em compreender como as tuas emoções impactam os outros, e conseguir alterar as emoções para não impactar os outros negativamente.

Ao o fazeres, não só constróis relações de trabalho mais positivas, como afastas os sentimentos negativos. Ou seja, a frustração, preocupação, infelicidade, raiva e antipatia serão cada vez menos frequentes.

Motivação

É o principal atributo para um trabalhador que pretenda trabalhar numa empresa a longo prazo.

Como deves saber, depois de passares algum tempo num emprego, a tua libertação de dopamina diminui, fazendo com que o trabalho te pareça monótono. Além disso, a vida nem sempre é simples e existem obstáculos que podem dificultar o teu progresso.

Por isso, ser capaz celebrar o cumprimento dos objetivos só pelo simples facto do seu cumprimento, bem como perseguir um objetivo ignorando a dificuldade do desafio, é um atributo essencial dos trabalhadores que todas as empresas buscam. 

De fato, a paixão que tens pelo trabalho que fazes, e a vontade para melhorar o que fazes são as principais características de um trabalhador emocionalmente inteligente.

Empatia

Empatia é a compreensão do contexto emocional das outras pessoas. Por exemplo, uma pessoa empática, reconhece os pontos de vista dos outros, mesmo que não estejam alinhados com o seu. 

Esta característica da inteligência emocional permite construir um ambiente de trabalho mais colaborativo e diversificado. Ela combate os possíveis conflitos e melhora o relacionamento interpessoal no trabalho, ao desencorajar as atitudes individualistas. 

Competências sociais

E, por fim, as competências sociais estão relacionados com a capacidade de lidar com pressões e adversidades, construídas através do relacionamento com os outros.

Reúnem o leque de habilidades necessárias para lidar e comunicar eficazmente com os outros, consoante as necessidades de cada um e as exigências de cada situação. 

De fato, são as tuas competências sociais que permitem construires relações sólidas com os outros, para que se consigas caminhar na direção pretendida.

Benefícios no trabalho

A inteligência emocional é útil em todos os aspetos da vida. No entanto, é no trabalho que demonstra o seu pleno potencial. É lá que tendemos a passar a maior parte do nosso tempo, rodeados por uma série de personalidades e lidando constantemente com fatores de stress diários. 

Assim, integrar a inteligência emocional no ambiente de trabalho não é apenas uma opção; é uma vantagem competitiva. 

De fato, a inteligência emocional no trabalho é uma das competências mais valorizadas no mercado atual. Ela aparece entre as habilidades mais desejadas pelas empresas, ao lado da adaptabilidade, colaboração, criatividade, inovação e persuasão. 

Os benefícios desta são vastos e influenciam positivamente a dinâmica de uma equipa e o ambiente laboral de um escritório.

Eis, algumas das vantagens tangíveis da inteligência emocional no trabalho:

Melhora os relacionamentos interpessoais

Os colaboradores com altos níveis de empatia e compreensão emocional conseguem lidar melhor com os inevitáveis conflitos interpessoais, enquanto a clareza emocional contribui para uma comunicação mais transparente e eficaz.

Desta maneira, evitam que as divergências se tornem problemas maiores para a empresa e impedem a formação de grupinhos, a saída de talentos e o aumento do stress.

Melhora produtividade

Equipas emocionalmente inteligentes tendem a ser mais colaborativas e eficazes. Em vez de se deixarem afetar pelo stress do trabalho ou pelos conflitos e problemas pessoais, as pessoas com alta inteligência emocional conseguem focar verdadeiramente no trabalho.

De fato, já está comprovado que a inteligência emocional aumenta a produtividade e melhora os resultados nas empresas. De acordo com um estudo conduzido pelas Universidades de Harvard, Boston e Michigan, os colaboradores com maior capacidade de comunicação geram um ROI (Retorno sobre o Investimento) de 250% nas contratações.

Redução de stress

A inteligência emocional bem desenvolvida é fulcral na gestão do stress dos trabalhadores. Permite que os trabalhadores resolvam os seus problemas com mais facilidade, sem necessidade de criar uma bola de neve. 

Além disso, a inteligência emocional melhora a maneira como estes lidam com as dificuldades do dia a dia, sem que estes impactem o seu humor e bem-estar no dia a dia.

Melhora a tomada de decisões

Ao desenvolveres a tua inteligência emocional, terás uma melhor consciência sobre os teus sentimentos e os das pessoas que te rodeiam. 

Deste modo, a inteligência emocional impede que as emoções atrapalhem a tua capacidade de pensamento critico. Assim, tomas decisões mais equilibradas e sensatas.

Torna-te num líder melhor

A inteligência emocional no trabalho é uma característica fundamental para quem está a ocupar um cargo de liderança ou tem intenção de algum dia o ocupar. 

A fim de extrair o melhor de cada funcionário e mantê-los motivados na tua empresa, deves desenvolver as tuas características de inteligência emocional. Isto é, tens de saber lidar com as tuas próprias emoções e com o relacionamento com os teus funcionários. 

Segundo o estudo das Universidades de Harvard, Boston e Michigan que referimos previamente, os líderes inteligentes emocionalmente conseguem aumentar a performance das suas equipas em mais de 30%.

Como melhorar a tua inteligência emocional?

Desenvolver a inteligência emocional é um processo contínuo. Aqui estão algumas práticas que podes incorporar no teu quotidiano para aprimorar esta habilidade.

Desenvolve a tua autoconsciência

No início, é importante fazer uma autoavaliação. Pergunta a ti mesmo quais são os 5 principais componentes para atingir a inteligência emocional, depois pede feedback aos outros e reflete acerca as tuas emoções.

Trabalha as emoções negativas

Depois de melhorares a tua autoconsciência, vais conseguir identificar as tuas emoções negativas como frustração, medo, indiferença, raiva, ansiedade e indignação. De seguida, deves trabalhar estas emoções.

Usa a psicologia positiva

Ao invés de tentares que as emoções negativas não te afetem, podes tentar expulsá-las da tua vida. É nisso que consiste a psicologia positiva. 

Assim, cultiva as emoções positivas, como a alegria, gratidão, entusiasmo, otimismo e satisfação.

Assume o pragmatismo

Ter uma postura pragmática e menos impulsiva a lidar com os teus colegas no trabalho pode ser útil para a melhoria do ambiente de trabalho.

Não deixes que as tuas emoções tomem o controlo. És tu quem deve definir que emoções são mais úteis para exibir aos teus colegas. Por exemplo, encara os teus colegas com uma atitude mais positiva, demonstrando calma e otimismo, ao lidar com um problema que necessites ajuda para resolver.

Sê mais empático no dia a dia

Da mesma forma que reconheceste as tuas emoções, tens de reconhecer as emoções dos outros. Quando identificas as emoções dos outros, saberás como agir dependendo de cada situação e cada pessoa.

A empatia é a capacidade de sentir o que outra pessoa sente se estivesse na mesma situação que ela se encontra. É por isso que, popularmente, as pessoas descrevem a empatia como o ato de “tratar os outros como gostarias de ser tratado.”

Alguns exemplos do impacto da empatia no trabalho são a especialização na contratação, a retenção de profissionais de topo, assim como a capacidade de desenvolver a sensibilidade para conseguir unir pessoas com diferenças culturais notórias.

Tem maior assertividade na comunicação

A comunicação é o veículo da inteligência emocional — saber comunicar bem, através de linguagem, tom, expressões faciais.  Assim, permite-te melhorar a expressão das tuas emoções e como estas vão ser percecionadas pelos outros.

Utiliza as técnicas de rapport para melhorar a comunicação. Alguns exemplos destas técnicas que podes utilizar são: ajustar o tom de voz para se assemelhar ao do seu interlocutor, chamá-lo pelo nome ou imitar pequenos gestos que ela faz enquanto comunica.

Related posts
Bem-Estar no trabalhoEmpreendedorismoFormação & Carreira

Bem-estar financeiro dos colaboradores

Formação & CarreiraNotícias

Estágios Ativar.pt: Candidaturas abertas para jovens desempregados

Direitos do TrabalhadorFormação & Carreira

Ajudas de custo: o que diz a lei e quais os valores?

Direitos do TrabalhadorFormação & Carreira

Viajar em trabalho: direitos e deveres